07
Jan 12

 

"A Amizade é Sem Dúvida a Forma Mais Frequente de Amor"

-Lisbeth Salander-

 

Esta colecção que a imagem vos mostra foi a que comprei ao adquirir esta trilogia. Ao principio estava um pouco com o pé atrás em relação à ideia de comprar esta colecção que eu tinha para mim como uma colecção que era muito famosa, mas muito por conta da prematura morte do seu escritor.

 

Claro, estava errado. Li os três livros em tempo quase record, mas não seguidos. Muito resumidamente, estes três livros relatam investigação jornalistica juntamente com o poder que um bom hacker informático pode ter. E com uma ideia supostamente básica, nasce a trilogia dos nossos tempos, actual, alucinante e real.

 

O escritor desta trilogia, Stieg Larsson (Karl Stig-Erland Larsson) nasceu na Suécia em 15 de Agosto de 1954 e foi durante a sua vida profissional um jornalista e activista político. Criou a revista EXPO e através dela denunciou vários grupos neonazis, racista e xenofóbicos e consequentemente recebeu inúmeras ameaças de morte por parte dos mesmos. Foi também co-autor do livro Extremhögern, um livro que retrata como se organiza e trabalha a extrema direita do seu país.

Morreu a 9 de Novembro de 2004 prematura de ataque de coração. Muitos acreditam que esse mesmo ataque foi induzido, devido às tais inumeras ameaças de morte pelo seu trabalho em desmantelar estes grupos, mas até à data nunca nada foi provado.

 

Antes de morrer, Stieg Larsson escreveu estes três livros desta trilogia chamada Millennium e entregou os manuscritos desta trilogia à sua editora. Mas acontece que este morreu antes da editora ter lançado os livros para o mercado e ver o sucesso que a sua série trouxe. Tudo indica que a série Millennium tinha sido planeada para completar um conjunto de dez livro, ao invés de três, mas devido à prematura morte do escritor tal não foi possível. Muitos perguntam-se como acabaria a estória da extravagante Lisbeth ou do jornalista Mikael mas parece que os planos para estes foram interrompidos.

 

Stieg Larsson deixou o mundo mas não sem lhe deixar uma cicatriz. E essa cicatriz é registada como Millennium. Uma série, como já tinha dito, planeada para ser composta por 10 livros, mas ficou reduzida a 3.

 

Esses três livros são: Os Homens Que Odeiam As Mulheres; A Rapariga Que Sonhava Com Uma Lata De Gasolina E Um Fósforo e A Rainha No Palácio Das Correntes de Ar, títulos em português. 

São três livros fortes e poderosos. Livros cujas intensões são representar a realidade alternativa de muita gente... Realidades essa bastantes "anormais" mas de todo plausíveis e credíveis. Juntando a um conjunto soberbo de personagens bastantes carismáticas, reais e vivas. O título Millennium foi o escolhido, pois a revista criada pelo protagonista da série Mikael Blomkvist, juntamente com Erika Berger será o palco da maioria das acções de toda esta novela. Outra personagem bastante apreciada pelos fãs de Millennium é a anti-social, extravagante, e com um passado que fará sentir pena: Lisbeth Salander.

 

Não querendo falar muito dos livros, pois já foram comentados neste mesmo Blog, falo-vos desta colecção que comprei, composta pelos três livros (não são as edições de bolso) e uma simpática caixa arquivadora onde guardarão e estimarão a vossa colecção. O preço é compensatório, fazendo contas a que se comprássemos os três livros em separado e sem a caixa sairia uma colecção um pouco mais cara. Mesmo assim não é de todo barata: 49,90€ P.V.P.; mas uma boa compra para o caso de terem cupões de desconto ou algo semelhante.

 

Os livros já tiveram também direito à adaptação ao cinema. Na Suécia estrearam os três filmes, cada um correspondente a cada filme, mas David Fincher ambiciona ir ainda mais longe na realização do filme baseado no primeiro livro da trilogia com o filme The Girl With A Dragon Tattoo que estreará cá em Portugal no próximo dia 19 deste mês. Ainda não vi nenhum, mas depois de ver o filme vindo de Hollywood, alugarei também as versões suecas.

 

 

Todas as informações mencionadas sobre o escritor Stieg Larsson foram retiradas dos sites pt.wikipedia.org/wiki/Stieg_Larsson e do en.wikipedia.org/wiki/Stieg_Larsson

Publicado Por ChadGrey às 13:29

15
Dez 11

 

Millennium 3

 

Depois de ler Os Homens Que Odeiam As Mulheres e A Rapariga Que Sonhava Com Uma Lata De Gasolina e Um Fósforo é mesmo inevitável ler quase de imediato o livro que marca o fim antecipado da saga Millennium: Luftslottet som sprängdes (Título original em Sueco). Foi lançado em 2007 no país natal do falecido escritor, e em Portugal viu o seu lançamento em meados de 2009. 

 

Este terceiro livro desta forte trilogia vê o seu inicio imediatamente a seguir aos acontecimentos do anterior, por isso para os que não leram o segundo livro, é possível que conte neste espaço alguns acontecimentos que vos irão estragar um pouco o factor surpresa, ainda por cima relativamente ao final do segundo livro. Se não é isso que pretendem, o melhor mesmo é parar de ler neste preciso momento e regressam quando terminarem de ler o segundo livro.

 

Como mencionei, este livro começa onde os acontecimentos do A Rapariga Que Sonhava Com Uma Lata De Gasolina e Um Fósforo terminaram, ou seja, a personagem principal Lisbeth Salander que tinha sido baleada na cabeça sobreviveu aos ferimentos e encontra-se no hospital em estado crítico, mas fora de perigo de vida; e o antagonista e pai da protagonista Alexander Zalachenko também se encontra no mesmo hospital, a poucos quartos de distância da pessoa que ele quer ver morta, por motivos bastante antigos, pessoais e pelo ferimento causado por uma machadada provocada pela Lisbeth. Apesar de tudo, Zalachenko encontra-se em melhor estado de saúde que a sua filha.

 

Paralelamente o jornalista da revista mensal MillenniumMickael Blomkvist que está danado com os acontecimentos, principalmente por ter descoberto que a Säpo (agência de serviços secretos, na Suécia) ou alguns dos seus funcionários se encontram responsáveis por todos estes incidentes e pela morte do jornalista Dag e da investigadora Mia, que se preparavam lançar uma tese e um livro que prometiam relacionar nomes de alta patente com o tráfico de mulheres. Mickael quer fazer de tudo para ajudar juridicamente a Lisbeth e para isso pediu a sua irmã Annika, advogada e defensora dos direitos das mulheres. Esta advogada que ao principio não acredita ser a pessoa indicada para defender Lisbeth, a mulher fechada, que não demonstra sentimentos nem que fala muito e que pouca confiança transmite, aceita o desafio e trabalha no caso.

 

Mickael prepara um artigo que irá abalar toda a Suécia, ao ponto de obrigar o Primeiro Ministro deste país e o Ministro da Justiça a intervir neste caso; mas desta vez não pode contar com a directora editorial da revista e amante ocasional Erika Berger, pois esta aceitou a proposta para ser directora executiva de uma outra revista de uma dimensão nacional. Contudo o jornalista não está sozinho nesta luta contra todo o sistema conspiratório, mas todas as ameaças estão contra ele... Resta saber se irá baixar os braços para deixar de lutar por uma pessoa que não lhe diz à anos perante todos os perigos que se vê envolvido.

 

Podem contar com um livro grande. São 720 páginas! Não vou dizer que não encontrei partes do livro secantes e que me levaram a fechar o livro mais depressa do que realmente queria; aliás, posso dizer que as primeiras 350 páginas, salvo algumas excepções, são um tanto ou quanto maçadoras; mas com o decorrer da acção, facilmente nos apercebemos que sem todas aquelas páginas que nos fizeram bocejar ao inicio, o livro não teria qualquer sentido. Ou seja, sofri ao inicio, mas o final foi muito compensador. As personagens continuam com a sua personalidade que já conheceríamos e há uma série de acontecimentos que prometem cravar uma estaca no coração das pessoas que acreditem nesta realidade, que ao fim ao cabo não é de modo nenhum descabida nem impossível. Um livro OBRIGATÓRIO para o término de uma trilogia que fará as pessoas pensarem um pouco na realidade.

 

Prós:

  1. Estória muito bem construída
  2. Momentos chave
  3. Organização temporal
  4. Personagens carismáticas...

Contras:

  1. ...Mas que são muitas e por vezes é confuso 
  2. Apesar de ser viciante, o inicio é algo desmotivador 
  3. Livro muito grande o que dificulta a sua mobilidade

 

Sinopse: )

 


23
Nov 11

 

Millennium 2 

 

Flickan Som Lekte Med Elden, título original do livro sueco, é o segundo livro da parte integrante da trilogia Millennium. O primeiro livro é o Os Homens Que Odeiam As Mulheres (Podem clicar no título para lerem o meu comentário) e o terceiro é o: A Rainha No Palácio das Correntes de Ar (Farei comentário assim que o ler). Esta saga foi originalmente preparada para ser uma decalogia, mas infelizmente Stieg Larsson sofreu uma prematura morte por motivos, aparentemente, patológicos.

 

Neste livro, acompanharemos novamente personagens anteriormente conhecidas, tais como a introvertida e carismática Lisbeth Salender, o jornalista Mikael Blomkvist e sua colega e companheira Erika; tecerão toda uma aventura que fará o leitor sofrer, e não será apenas por roubar horas de sono aos seus leitores, como também conquistarão e prenderão o leitor à sua estória, possivelmente fictícia mas que facilmente se confunde com a realidade.

 

Lisbeth é uma mulher crescida. Não mudou nem adoptou a sua personalidade à "realidade", mas está mais madura e consciente dos seus objectivos. É agora uma pessoa que pensa um pouco no futuro. Agora tem dinheiro, tem ainda puder sobre o seu tutor Bjurman ao qual lhe deixou uma marca tatuada que o identificará para sempre. Tu corre bem até que decide invadir o computador do jornalista ao qual trabalhou e se relacionou no passado e descobre um nome que a tormenta: Zala.

 

Mikael usou todos os esforços que tinha para conseguir voltar a falar com Lisbeth que misteriosamente desapareceu. Todos foram em vão. Entretanto este conhece Dag Svensson, um jornalista que prepara um livro onde decide divulgar nomes de figuras conhecidas e ricas que estão envolvidas no tráfico de mulheres; e a companheira Mia Johansson, uma detective criminal que prepara o seu doutoramento também baseado na mesma matéria que apesar de ter leis que desaprovam a sua prática, a fiscalização é insuficiente. 

 

Acontece que certo dia, quando Mikael na categoria de amigo e editor da Millennium que orientava o livro de Dag se dirigia para visitar o casal ao seu apartamento, este deparou com o casal morto no seu próprio apartamento. Investigações preliminares, e não só, de vários departamentos de investigação apontam Lisbeth como principal suspeita. Mikael é o único que não acredita na sua culpa e fará também a sua investigação com a ajuda bastante omissa da própria Lisbeth e de mais poucos.

 

O tamanha deste livro e da trilogia é enorme. Este livro tem mais de 600 páginas e no fim ficamos impressionados como conseguimos ler tão rapidamente um livro tão maçudo. Stieg Larsson tinha claramente o dom não só para escolher temas interessantes e cativantes, como para escrevê-los de modo a criar personagens que ficarão na história e com um argumento alucinante e rápido. Quererão certamente conhecer a Lisbeth e o Mikael.  

 

 

Sinopse )

15
Out 11

 

Millennium 1

 

Stieg Larsson, sueco, viveu entre os anos de 1954 e 2004 e foi durante a sua vida profissional jornalista e escritor. Este enquanto escritor escreveu a famosa Trilogia Millennium, mas ao contrário do que se costuma fazer, este entregou o manuscrito da sua obra toda de uma só vez aos seus editores em 2004. Pouco tempo depois morreu precocemente de um ataque cardiaco, o que o impediu de testemunhar o sucesso do rumo que os seus livros acompanham. Em 2008 foi o segundo escritor que mais vendeu nesse ano.*

 

O primeiro livro da trilogia Millennium é o Män Som Hatar Kvinnor (título original/sueco) cuja edição portuguesa adoptou Os Homens Que Odeiam As Mulheres

Neste livro conta-nos tudo o que envolve entre certas personagens durante um ano do calendário gregoriano, e onde muita coisa pode acontecer. Uma das personagens principais é o Mikael Blomkvist, muito conhecido por Super Blomkvist, é um jornalista e co-director da revista Millennium, mas como foi condenado a três meses de prisão, decide retirar-se do cargo, pelo menos temporariamente. No entanto, um milionário empresário Henrik Vanger que luta à mais de quarenta anos para descobrir sobre o desaparecimento da sua sobrinha-neta Harriet Vanger faz um contrato milionário com o jornalista para encontrar, ou tentar, uma resposta para o seu desaparecimento ou assassinato.

 

Mikael aceita a proposta, mas com outras intenções mais pessoais, e que nada têm a ver com o dinheiro. Mas acontece que realmente se depara com um caso bastante interessante, intigrante até; mas para ir mais fundo, este terá que pedir ajuda a uma das personagens mais misteriosas que já li num romance: a jovem e carismática Lisbeth Salander: 24 anos, Hacker, trabalha como freelancer para uma empresa de segurança privada, com bastantes tatuagens o que socialmente a exclui de mais respeito que realmente merece. Esta promete ajudar o jornalista de maneira que nem lhe passa pela cabeça.

 

Sim, é um livro obrigatório, não só para quem gostar de investigação, como também para quem gostar de uma boa trama familiar e onde se percebe que nas famílias milionárias à bem mais pratos sujos que em famílias mais carênciadas.

Em 2009 saiu um filme baseado nesta obra, sueco e com o mesmo título, tanto o original como o traduzido e já há planos para uma adaptação a esta trilogia nos estúdios de Hollywood. 

 

*Informação extraída do site: Wikipédia.

 

 

Sinopse: )

 


Banner
Mais Sobre Mim

Ver

Seguir

2 seguidores

Pesquisar