07
Abr 13

 

LIVRO III DA TRILOGIA: OS JOGOS DA FOME

 

Depois de uma longa ausência, estou de volta com muitos livros para comentar e análises a jogos e até uma nova área que quero abrir aqui neste espaço, mas uma coisa de cada vez e hoje é a vez de encerrar mais uma trilogia à muito iniciada.

 

Os Jogos de Fome teve um incrível impacto cá em Portugal, muito também pela ajuda da estreia do filme. Eu sei que não falo por todos, mas como eu muita gente teve conhecimento desta série com o aparecimento do filme baseado no primeiro livro da trilogia.

Li, e gostei tanto do livro como do filme. Tive de imediato vontade de ler a continuação: Em Chamas. Apesar de ameaçar ser uma sequela igual ao primeiro, prometeu uma gira reviravolta.

 

Agora para dar término à aventura da Katniss, Suzanne Collins apresenta-nos Mockingjay ou o amavelmente traduzido para a língua de Camões, A Revolta. Foi lançado nos Estados Unidos da América em 2010 e em Portugal em Novembro de 2011 sob a tradução de Jaime Araújo.


Vou-vos ser sincero. Não vos quero falar sobre a estória. É o ponto mais forte deste livro. Como Katniss diz: "O treze continua de pé" e ela também. É prometida uma enorme batalha, uma guerra estratégica entre o Capitólio e este grupo que apenas ambiciona a liberdade e o direito de viverem como seres humanos.


Esta aventura épica tras-nos a garra de uma jovem que acompanhada do seu melhor amigo, lidera e motiva um grupo de rebeldes a se manifestar e conquistar o capitólio. Como tudo, o capitólio não é constituído por um grupo de amadores e prometerão não só luta, como vingança pelo orgulho ferido.


Prós:

  1. Excelente fim de saga
  2. Katniss é uma jovem mulher com garra e conquistará os leitores
  3. Uma estória contada quase como epopeia quando comparada a alguns momentos da história mundial
  4. Muito espaço para spin-offs, se a escritora o desejar
Contras:
  1. Algumas personagens que antes deram brilho à saga, chegam neste conto como um espinho mal contado

 

Sinopse )

 

Publicado Por ChadGrey às 21:41

24
Jul 12

 

LIVRO II DA TRILOGIA: OS JOGOS DA FOME


"Minhas senhoras e meus senhores, bem-vindos aos Septuagésimos Quintos Jogos da Fome"

 

É assim que começa o Capítulo III com a voz do apresentar destes jogos: Claudius Templesmith.

Sim, adivinharam, vão haver uns "segundos" (assistidos por nós). O que certamente não adivinharão é quem serão os seus intervenientes. Também não sou eu quem vos vai dizer.

 

Como costume, uma pequena situação cronológica do livro neste ainda mais pequeno livro, estamos a falar do, título original, Catching Fire escrito um ano após o seu antecessor, Os Jogos da Fome, ou seja em meados de 2009. Em Portugal saiu um anos depois e, até Abril deste ano 2012, já contava com 5 edições, muito por força da fama que o filme baseado no primeiro livro teve, deixando os curiosos ansiosos por mais aventuras da Katniss, do Peeta e do Gale.

 

Perfeitamente normal (ainda não vi o filme, mas acreditando que é minimamente fiel ao livro) este pequeno mas rico universo criado pela Suzanne Collins não só tem todos os ingredientes para criar algo grandioso, como estão magicamente envolvidos. Aproveito para informar que por muito que me esforce é-me difícil falar-vos deste segundo livro sem "involuntariamente" spoilar o primeiro. Estejam a vontade para fechar a janela, ou mandarem-me para certos e determinados sitios menos bonitos na zona de comentários. Adiante...

 

Continuamos a narrar a estória na pele da Katniss uma das vencedoras da última edição dos Jogos da Fome. Normalmente e todas as 74 edições destes jogos apenas houve um vencedor. A estratégia de KatnissPeeta fez com que os produtores dos jogos mudassem também as regras no último minutos, deixando estes dois habitantes do Distrito 12 vivos. Esta mudança não foi vista com bons olhos pelo Capitólio e o seu Presidente Snow leu todo este cenário como uma afronta e com medo que os Distritos entrem em motins criando uma nova revolução que ameace a autoridade do Capitólio, o Presidente vai ter que tomar medidas [extremas]. 

 

Não quero adiantar muito mais sobre a aventura que, principalmente as três personagens (Katniss, Peeta e Gale) irão viver nestas páginas, mas vou aproveitar as palavras que estão na capa do livro da escritora Stephenie Meyer (criadora da saga Crepúsculos, cujos livros e filmes nunca li ou assisti) e concordar a cem por cento que após as conhecermos no primeiro livro, neste cresceram em todas as suas características e habilidades. Acreditem. Todas as acções pensadas ou não vão mexer com muita gente, criando certamente emoções de empatia entre o leitor e estes jovens.

 

Livro muito bem dividido e a gestão da sua construção foi excelente. Houve momentos em que pensei: "será que irei ler uma cópia resumida do primeiro?" Mas não. Li um livro novo, uma nova aventura. Não irei ler imediatamente o terceiro, ainda estou a espero de poder ver o filme baseado no primeiro, mas estou muito curioso para saber como termina esta trilogia e a seu tempo terei todo o gosto em descobrir.

 

Prós:

  1. Continuação directa do primeiro
  2. As personagens estão mais vivas e empenhadas
  3. Mais rápido e rítmico que o primeiro

Contras:

  1. O final não foi tão "final" quanto o primeiro foi, desejando a leitura imediata do seguinte
  2. Alguns erros na construção discurso directo/discurso indirecto.

 

Sinopse )

 


07
Mai 12

 

LIVRO I DA TRILOGIA: OS JOGOS DA FOME

  

"Minhas Senhoras e meus Senhores, bem-vindos ao septuagésimo quartos Jogos da Fome!"

 

Conheci este livro à muito pouco tempo. Mais ou menos na altura da estreia nos cinemas portugueses da adaptação ao cinema deste livro, mais ou menos em meados de Março deste ano. Li algumas críticas e comentários sobre a adaptação e, regra geral, quem não leu o livro e viu o filme, diz que não é um filme muito bom e quem leu o livro e viu o filme, gostou mas justifica com a experiência da leitura. Eu optei então por ler o livro para posteriormente ver o filme.

 

Suzanne Collins é escritora de livros infantis e juvenis e argumentista de programas televisivos infantis. Conhecida pela novela The Underland Chronicles que conta já com cinco livros, mas nenhum traduzido para a nossa língua; mas reconhecida pela trilogia The Hunger Games, tendo sido o primeiro livro merecido o nome da trilogia, ou seja: Os Jogos da Fome, lançado no seu país natal em Setembro de 2008 e visto a sua tradução feita para português e primeira edição lançada a Outubro de 2009. Depressa foi reconhecido o seu valor e para ver a sua adaptação ao cinema foi um passo.

 

Pois bem, se gostam de cenários pós apocalípticos, mas sem aquela tecnologia quase alienígena, não vejo o porquê de evitar este livro. Após mais uma enorme guerra, a América do Norte deixa de ser Estados Unidos da América e Canadá, e passa a ser o mesmo espaço geográfico, chamado Panem que se encontra dividido em 12 Distritos. Estes 12 Distritos estão de tal modo interessantes que cada Distrito tem a sua cultura, riqueza e classes sociais. Adorei este cenário e conceito.

 

Estes doze Distritos são governados pelo Capitol e num regime severo. Esse regime fez com que os Distritos em tempos se revoltassem contra o Capitol, sem sucesso. Esta revolta custou a criação dos Jogos da Fome. Estes Jogos da Fome consistem em todos os anos juntar 24 pessoas, duas de cada Distrito escolhidas aleatoriamente, numa arena grande e com os seus recursos onde estes 24 adolescentes lutam entre si, uma luta de vida ou morte, onde apenas sobrevive um elemento. Cada elemento deste jogo é denominado de Tributo.

 

Nestes Septuagésimo quartos Jogos da Fome, no Distrito 12 uma criança muito jovem, a Prim, foi a escolhida. Neste momento de desespero, a sua irmã mais velha, Katniss, que fazia quase o papel de mãe não aguentou ver a sua irmã a caminhar para um possível caminho que resultará da sua morte. Quase instintivamente voluntariou-se para participar nos Jogos em vez da irmã mais nova. As regras permitiam-no. Suzanne Collins decidiu contar-nos esta aventura aos olhos da Katniss, pois o mesmo é lido na primeira pessoa.

No Distrito 12 onde a luta era constante para não se morrer a fome, participar nos Jogos é quase morte certa, em contraste com outros Distritos que treinam desde sempre para participarem nestes jogos, onde as crianças são educadas a morrer com honra nos Jogos. Os jogos vão decorrer, vão participar 24 tributos e as regras vão ser severas.

 

Foi um livro que gostei muito de ler. Uma trilogia para ler toda, mas a seu tempo. Não é algo que se anseie imediatamente ler o Livro II desta trilogia, o Em Chamas; mas chegará o seu tempo e terei todo o gosto em continuar esta série. Tem tudo para dar que falar e tem ainda mais para agradar a quem leia por entretenimento e procure uma estória sólida e criativa. Rica em personagens carismáticas e fortes, que deixarão a sua marca e decidirão muito sobre toda esta aventura.

Espero agora pela oportunidade para ver o filme para ter uma opinião minha, pois acredito que com uma boa realização possa ter uma boa adaptação.

 

Prós:

  1. Cenário físico e temporal
  2. Personagens determinadas e vividas
  3. Personagens secundárias
Contras:
  1. Este livro poderia dar uma visão mais ampla se não fosse contado na primeira pessoa
  2. Não gostei de uma mudança da regra do Jogo

 

 

Sinopse )

 


Banner
Mais Sobre Mim
Pesquisar