01
Jul 12

 

Livro Terceiro de O Ciclo Da Herança

 

Este é o terceiro livro, o final da trilogia iniciada com o livro Eragon. Esperem... Era para ter sido assim até ao final do Eldest, mas parece que o jovem escritor Christopher Paolini decidiu que três livros não são o suficiente para caracterizar o mundo como deseja. Acha que é necessário pelo menos mais um ao que pôs término à descrição "Trilogia da Herança" e nomeou como "O Ciclo da Herança".

Brisingr foi lançado em 2008 nos Estados Unidos da América e em Portugal, sem grande demora, a editora Gailivro o colocou no mercado no mesmo ano. Só quatro anos depois o li e vos apresento a minha pequena opinião sobre o mesmo.

 

Brisingr vê o seu inicio imediatamente após o fim de Eldest. A primeira missão neste livro de Eragon é salvar Katrina, o amor da vida do seu primo Roran. Missão essa que conclui com sucesso, mas com o seu preço que não é tão baixo quanto isso. Encontra o pai da Katrina, aquele que o traiu e levou os inimigos ao seu encontro. A partir daí o coração de Eragon e a sua mente coagirão em conjunto, muitas vezes sem o Dragão Saphira poder ajudar.

 

É um livro longo. Lê-se muito bem e para mais de 800 páginas posso dizer que é um livro que se lê rápido. Mas tenho que concordar que em comparação com os anteriores, é um livro que evolui muito pouco. Acontecem várias reuniões e concílios de discussões, onde facilmente é previsível a tomada de decisão; Acontecem várias batalhas onde a vitória pertence àquele que não surpreenderá o leitor e até aquelas conversas morais e sociais entre Eragon e Saphira ou Arya já não estão tão elaboradas e completas quanto isso. Não quero dizer isto, porque ainda não li o quarto livro deste Ciclo, Herança, mas a mim me pareceu muito um pouco com descrever situações mais com o objectivo de "encher chouriços". Não tenho dúvida alguma que serão necessários para compreender eventos futuros, mas quem pegou no livro e ter pensado que seria o fim da trilogia terá com certeza ter achado ainda mais estranho.

 

Mas no entanto o público dedicado desta obra mantêm e tende a crescer. Qualquer amante de um videojogo do género RPG Medieval, terá todo o gosto em ler este exemplar. Recheado de raças e magias, dragões e batalhas épicas, localizações mágicas e paisagens que surgirão nas vossas cabeças como pinturas graças às excelentes descrições feitas pelo escritor.

 

Prós:

  1. Continuação de um ciclo viciante
  2. Escrita simples, viciante e bem caracterizada
  3. Formatação do livro

Contras:

  1. Existem magias que resolvem todos os problemas, chegando a ser um exagero
  2. Várias situações que apesar de complexas, serão muito previsíveis

 

 

Sinopse )

 


02
Jan 12

 

Livro Segundo de O Ciclo Da Herança

 

Eldest é a sequela directa do primeiro livro da "trilogia" Herança: Eragon. Digo "trilogia" entre aspas porque apesar de edição que eu li que foi a da editora ASA em parceria com 1001 Mundos (Diferente da imagem que ilustro que é da editora Galivro) ser de 2009 e ser a contar que só haveriam mesmo três livros, parece que um quarto livro Herança lançado nos finais do ano passado veio "concluir" a trilogia.

 

Christopher Paolini com os seus tenros 21 anos concluiu em 2005 o seu segundo romance épico e fantástico, incorporado numa época fictícia e medieval. Neste livro seguimos a continuação directa do primeiro livro, o Eragon e por isso ao vos por a par de uma pequena parte introdutória posso sem querer contar alguns acontecimentos que queiram ser vocês a descobrir com a vossa leitura. 

Acontece que Eragon e o seu dragão Saphira se encontram entre os escombros e cicatrizes de uma batalha que resultou quase da destruição de uma civilização inteira. Murtagh morreu, os Gémeos (aqueles que ensinaram algumas tácticas a Eragon) desapareceram, Eragon encontra-se ferido com alguma gravidade, mas a Elfo Arya encontra-se sã e salva. Depois de resgatar Arya, com a ajuda dos Anões, é que Eragon descobriu que a Elfo pela qual floriu um tipo de sentimento muito próximo do amor, apesar de descobrir ser um jovem e a Elfo ter para cima de cem anos de idade (os Elfos são seres imortais, por isso 100 faz parecer uma jovem, comparadamente com os humanos).

 

Já confortavelmente seguro no seio dos Elfos, eis que o jovem Cavaleiro Eragon juntamente com o seu dragão fêmea Saphira têm de ir para a Cidade dos Pinheiros treinar para aprender e aperfeiçoar as suas técnicas, e ninguém melhor para os ajudar que outro Cavaleiro até agora escondido: Oromis, um velho Elfo, que apesar de imortal os combates enfraqueceram a sua carne; juntamente com o seu dragão Glaedr que também se encontra incapacitado para entrar em batalhas e sair vitorioso. Eles mantiveram-se ocultos o tempo todo propositadamente para poderem ensinar ao próximo Cavaleiro que mereçam os seus ensinamentos, que neste caso foi e bem merecido o Eragon. Treinarão, sofrerão e tudo para lutarem contra uma força maior: o Rei Galbatorix e o Império.

 

Enquanto isso, o seu primo Roran sente-se responsável a sair de Carvahall a caminho de Surda, movido pela paixão que sente por Katrina, pela vontade de salvar a população de Carvahall e sede de ajustar contas com Eragon ao qual pensa que foi o principal responsável pela morte do seu pai e por levar os Ra'zac à sua procura, destruindo parte da localização.

 

Tudo isto poderemos encontrar escrito em cerca de 780 páginas, onde Paolini sente-se obrigado a escrever quase um códice, onde bem espremido e sem dificuldades serviria o mesmo propósito em menos de 500 páginas. Mas mesmo assim este livro aprende-se muito como os principios básicos de cada raça, principalmente a dos Elfos e a dos Anões, Eragon evoluirá de uma maneira épica, dinâmica e original e a batalha prometerá trazer grandes surpresas agarrando o leitor desejando de imediato ler o terceiro livro: Brisingr. Não será o meu caso apenas por não gostar de ler dois livros da mesma saga, aventura, novela, etc. de seguida.

 

Prós:

  1. Prefácio escrito para os portugueses
  2. Sinopse do livro Eragon
  3. Capitulos de dimensão q.b.
  4. Continuação de uma aventura que faz jus ao seu antecessor
  5. Treino do Eragon e Saphira
  6.  Cliffhanger*

Contras:

  1. Muitas páginas, quando o mesmo texto poderia ver-se reduzido
  2. Alguns nomes de personagens complicados de assimilar
  3. Por vezes, os capitulos que contam o caminho de Roran, vão cortar a acção de Eragon

*Eu sei que a expressão é mais usada no cinema e televisão, mas não me pareceu de todo descabida usá-la agora. Cliffhanger é uma expressão usada quando o final é de tal modo interessante, deixando a pessoa ansiosa para ver o episódio seguinte ou sequela de filme. Neste caso, livro.  

 

 

Sinopse )


Publicado Por ChadGrey às 19:08

01
Dez 11

 

Livro Primeiro de O Ciclo Da Herança

 

Eragon é um sucesso no que ao género literário fantástico e mágico diz respeito. Para muitos não será novidade nenhuma mas eu apenas estes últimos dias é que me dediquei à Saga Herança, depois de ver o último livro à venda e o seu imediato sucesso de vendas. "Bem, esta saga deve ser mesmo muito boa", pensei eu ao ver os resultados e a minha intuição não poderia estar mais correcta.

Sei que este livro teve direito à adaptação ao cinema também com o mesmo nome lançado em 2006, mas confesso que ainda não vi, apesar de alguma curiosidade.

 

Sobre o livro em si, teve direito a ir para as prateleiras no ano de 2002 pela editora dos pais de Christopher Paolini. Este escritor lançou o livro quando ainda não tinha os seus 20 anos (este nasceu em 1983), mas começou a escrever o livro 3 anos antes do lançamento. Num mês desenhou e planeou na sua mente a trilogia e em três anos os populares puderam ler o seu primeiro livro: Eragon.

 

Eragon é um livro espectacular e fantástico. Imediatamente mete-nos na pele de um jovem chamado Eragon, que vive numa família carenciada e que em busca de algo que possa vender para comprar comida, encontra uma pedra macia, pesada, com uma cor azul viva e com uma impressão detalhada. Este não sabia de que se tratava mas pensou que facilmente a conseguiria vender para comprar carne para a família que consistia no seu irmão e tio. 

 

Eragon consegue alguma carne sem precisar de se livrar da estranha pedra azul. Também, após Eragon revelar ao talhante onde encontrou a relíquia este descartou logo qualquer hipótese de negócio. Brom, um contador de histórias da vila chegou no momento em que Eragon "negociava" com o talhante e ele próprio após ver a estranha e pesada pedra azul, ofereceu-se para pagar um saco de carne ao rapaz. Eragon apesar de estranhar tão repentina hospitalidade, aceitou a oferta, apenas mantendo a promessa de que ficaria com a pedra azul e detalhada.

Não foram muitas noites depois que Eragon viu a pedra a mexer-se. Agitava-se violentamente até que a pedra estalou e dentro dela saiu um, até à data extinto, lindo e pequeno dragão azul. Não foi preciso muito tempo para Eragon perceber-se de que é UMA dragão e que seu nome é Saphira. O rapaz ainda sem saber o que fazer contactou Brom, o contador de história, para ver se conseguia mais informações sobre este ser mítico, mas sem nunca revelar de que teria um na sua posse.

Eragon teve passou por um processo de aprendizagem com a criatura, até que aprendeu a comunicar-se com ela, através de telepatia e pensamento. Inúmeras coisas até à data sobrenaturais a nossa personagem principal descobre com a criatura e, mais tarde, com o já mais adulto e cheio de segredos Brom.

 

Juntos descobrem que há mais entidades interessadas no Dragão e mais particularmente no Eragon que como ironia do destino se tornou num mitológico Cavaleiro do Dragão, entidade que o Rei do império Galbatorix quer ver de uma vez por todas extinta.

 

Este livro cá por Portugal também teve um sucesso incrível. Este livro é recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para os alunos do 6.º ano de escolaridade, e bem. Christopher Paolini teve o rigor e cuidado de escrever um livro cuja sua linguagem não só inove, como seja também acessível e compreensível para todas as idades, tendo criado várias personagens carismáticas e cheias de vida, como uma estória muito à frente neste tempo. Uma enorme e rica viagem por várias culturas fictícias enchem o livro de surpresas e curiosidade em relação à pessoa que criou todo este universo. Um livro para todas as idades, uma aventura para todos os que gostam de uma arriscada mas bela aventura.

 

Prós:

  1. Personagens bem ricas e carismáticas
  2. Locais e culturas diferentes de região para região
  3. Sentiremos que Saphira é o nosso animal de estimação
  4. Um sonho em palavras

Contras:

  1. Algumas conversas desinteressantes
  2. Os Urgal por vezes são um pouco chatos e aparecem "do nada" 

 

Sinopse )

 

Publicado Por ChadGrey às 13:29

Banner
Mais Sobre Mim

Ver

Seguir

2 seguidores

Pesquisar