12
Jan 13

 

"I raised you, and loved you, I've given you weapons, taught you techniques, endowed you with knowledge. There's nothing more for me to give you. All that's left for you to take is my life." - The Joy a.k.a. The Boss

 

Já estava mais que na altura de vos falar do quinto jogo canónico da saga Metal Gear (ou terceiro, se quisermos contar apenas a partir do Metal Gear Solid). Estamos a falar de Metal Gear Solid 3: Snake Eater (MGS3), mas falarei também da versão que saiu posteriormente, o Subsistence.

MGS3 saiu para a Playstation 2 no Japão em 2004, mas o continente europeu só lhe pode por as mãos em cima quase um ano depois, já em 2005.

Ao contrário do que seria de esperar, o produtor do jogo Hideo Kojima não deu uma sequela directa de Metal Gear Solid 2, mas reuniu toda a sua criatividade e esforços para criar a prequela de toda a saga. Tanto que o nosso protagonista não é Solid Snake mas sim o Big Boss, antes de ser sequer Big Boss; no entanto temos o nome de código Snake, Naked Snake.

 

O jogo MGS3: Snake Eater decorre cronologicamente no periodo da Guerra Fria. Estamos a falar da década de 1960. Como vos disse, nós seremos o corpo do operacional da FOX (grupo militar dos EUA afiliado à CIA. Este grupo foi formado pelo Major Zero e pela The Boss) chamado Naked Snake e temos uma missão: Infiltramo-nos pela floresta da União Soviérica e encontrar o desertor que se dedicou na criação de uma arma nuclear. Esta missão chama-se Virtuous Mission. Concluindo ou não esta missão com sucesso que vos entreterá cerca de 20% do jogo, as outras 80% do jogo são preenchidas com fim a concluir a Snake Eater Mission.

 

 

É a partir daqui que descobrimos que este novo jogo da saga trás-nos mais mudanças do que seria possível prever para a era da Playstation 2.

Começamos pelos cenários. Quando Metal Gear Solid e 2 nos habituaram a ambientes mais fechados, como bases militares, esta prequela de toda a saga apresenta-nos a selva. Cerca de 80% do jogo será vivido e explorado nas florestas da União Soviética. Ambientes mais há semelhança de Metal Gear e Metal Gear 2. Mas as mudanças não se ficam apenas pelo "aspecto exterior" pois o interior também sofre um excelente upgrade. Falemos, principalmente, da função CAMOUFLAGE, CURE e FOOD.

 

 

Pois é; isto é uma missão solitária. Seremos "largados" na floresta sozinhos, apenas com a ajuda de algumas instruções via codec do Major Zero que nos dá instruções sobre as missões principais, Para-Medic que nos ajuda a sobreviver na floresta como ajudar-nos a tratar das nossas feridas e alimentarmo-nos ou mesmo instruções sobre os animais e frutas que apanharemos, Sigint que nos informa sobre estratégia e armamento que possamos ter e encontrar. Fora isso estaremos sozinhos no jogo e objectivo será passarmos despercebidos pelo inimigo usando técnicas de infiltração e sobreviver na floresta. Para sobreviver precisamos de comida (usando a função FOOD) e curar a certos ataques que possamos sofrer ou apenas a acidentes que ocorram na floresta para isso a função CURE.

 

A função FOOD, tal como a de CURE, estão disponíveis no menu carregando no botão Start e serve para comermos. A comida aumenta o indicador de Stamina visível no HUD por baixo do indicador de vida. Sempre que o indicador de vida chega a zero, como normal vemos no ecrã a informação de que "Snake Is Dead", mas quando a barra da Stamina diminui, as funções e capacidades de Snake diminuem. Este não consegue correr tão depressa, a vista começa a ficar cansada e a pontaria diminui drasticamente. Combatesse estes inconvenientes comendo o alimento que abunda na floresta. Mas há comidas que nos fazem muito bem, outras que não melhoram muito e outras até que nos envenenam. Tenham um especial cuidado com a comida estragada que passa de validade ou apodrece!

 

Se forem vítimas deste acidente, o melhor é acederem ao menu CURE. Neste menu poderão tratar de todos os ferimentos que tiverem. Balas no corpo, comida envenenada ou estragada, constipação, dardos, entre todo o tipo de coisas que podem acontecer a um soldado numa missão e numa floresta.

No entanto a função cura não fará aumentar a nossa vida, mas sim reduzir a velocidade com que diminua. A nossa vida é depois restaurada com o tempo, dependendo das condições da nossa resistência.

 

Já vos disse que o objectivo deste jogo é passar-mos despercebidos pelo inimigo?! É preciso dizer tendo em conta que estamos a falar de Metal Gear Solid?! E qual a melhor maneira de o fazermos numa floresta? Exactamente... Camuflagem.

Existem vários tipos de camuflagens, tanto no vestuário como faciais e temos que escolher as que melhor se adaptam ao cenário em que estamos. Isto é uma particularidade que tem que ser especialmente explorada pois são inúmeras as combinações, assim como os cenários.

 

Mas muitas outras mudanças irão afectar a rotina àqueles que já conhecem a série. Um desses exemplos é a ausência do Solition Radar. Aquele radar maravilha que nos dava informações valiosas sobre a posição do inimigo já não se encontra, justificado e bem pela tecnologia da altura. em vez disso vemos um pequeno conjunto que nos informa quais as camuflagens que estamos a usar e a percentagem de invisibilidade que temos perante o cenário. 100 estamos invisíveis, 0% ou menos estamos visíveis demais.

 

Tudo isto conjugado para um principal objectivo. Derrubar The Boss, ou The Joy, aquele que te criou como soldado durante mais de dez, mas que desertou e se uniu ao inimigo pelos seus motivos. 

 

Nesta versão do jogo podemos ter disponíveis as duas câmaras. A primeira apenas disponível na versão Snake Eater e que é semelhante à vista nos dois anteriores. Câmara fixa com a personagem no centro do ecrã, o analógico direito serve para ampliar um pouco a visão; mas clicando no R3 temos acesso à câmara tradicional dos Third Person Shooters com câmara livre e rotativa. Ambas são muito boas e úteis. Pessoalmente não consigo me livrar do estilo clássico, usando a mais recente para poucos eventos como lutas contra bosses e pouco mais, mas a tradicional dá sempre um estilo mais cinematográfico, embalado, poético e menos mecânico. 

 

Este jogo recheado de drama, acção, poesia política, entre outros, vem também brindado com um minijogo bastante curioso mas até agora só vos falei do primeiro disco da edição Subsistence.

 

O segundo disco chamado Persistence trás, principalmente, a introdução do universo Metal Gear ao mundo do multiplayer online. Infelizmente não tive oportunidade de experimentar o online deste jogo que serviu, principalmente, como uma ferramenta para ouvir o feedback dos jogadores para se aplicar todas as melhorias no Metal Gear Solid 4.

Este disco trás também diversas cutscenes secretas no modo Secret Theatre. Muitos deles são apenas para paródia.

 

Para aqueles que não puderam experimentar a seu tempo, têm também neste disco uma excelente oportunidade de jogar as duas primeiras missões de Solid Snake em Metal Gear e Metal Gear 2: Solid's Revenge. É uma pena não estar também incluído o Metal Gear: Ghost Babel, mas como saiu apenas para a Nintendo GameBoy, acredito que esta detenha a exclusividade.

 

No segundo disco está também incluído o modo Snake Vs. MonkeyImaginem agora a fusão entre Metal Gear Solid e Ape Escape, onde Snake tem como missão apanhar os macaquinhos irrequietos no menor espaço de tempo. Neste modo vêm incluídos uma série de níveis serão explorados assim como até a sua estória que até ficou bem pensada. É uma pena mesmo este mini-jogo não estar incluído na Collection HD.


Com isto espero que tenham ficado com uma ideia de como é o jogo Metal Gear Solid 3. Tentei falar o menos possível da estória, dando mais ênfase às mecânicas de um dos melhores jogos que podem entrar numa consola.


Prós:

  1. Qualidade gráfica de topo
  2. Cutscenes
  3. Estória de "como tudo começou" muito bem explorada
  4. Ocelot e seu passado
  5. Mecânicas de sobrevivência

Contras:

  1. Ir ao Menu Start poderia ser mais rápido
  2. Cobra Unit um pouco seca e sem propósito
Publicado Por ChadGrey às 14:10

Banner
Mais Sobre Mim
Pesquisar