09
Dez 12

 

"Mantenham-se loucos,mas comportem-se como pessoas normais"

 

Este é um livro que me foi recomendado por muitas pessoas. Parece até que é um livro obrigatório para quem goste de ler, ou queira conhecer uma das grandes obras do escritor de língua portuguesa que mais livros vende. A edição que vocês vêm na imagem que eu pus neste post, como é costume, é um scan da edição que eu li, edição essa oferecida pela minha amiga V., que volta e meia passa por cá.

 

Lançado em 1998, este livro vem contar-nos a estória de uma jovem eslovena chamada Veronika que, aos 24 anos vividos da sua vida, decide morrer e para isso toma uma dose de medicamentos que, supostamente, deveriam por término à sua vida. Esta teve essa atitude pois pensava que já teria vivido todas as boas experiências de uma vida e que ao vivê-las pouco ou nada sentia.

Tomada a dose mortal de comprimidos e de ter entrado em coma, esta acorda numa clínica psiquiátrica. A tentativa de suicídio não teve sucesso imediato mas, ao ser atendida pelo Dr. Blake, foi informada de que não lhe restaria mais de uma semana de vida, derivado da lesão que os comprimidos surtiram no coração.

 

Sem esperança, Veronika na clínica conhece o Eduard. Eduard é um esquizofrénico que teve um surto psicótico ao culpar-se da morte da sua noiva, anos antes num acidente de automóvel. Estes dois vivem juntos experiências novas e interessantes, mas tanto Veronilka como Eduard têm plena consciência de que Veronika tem apenas uma semana de vida.

 

Paulo Coelho baseou-se numa experiência vivida por si quando com 17 anos de idade também foi internado numa clínica psiquiátrica. No entanto este confessa que o livro não se trata de uma biografia e que o livro tem como objectivo que o leitor pense não só no rumo para o futuro de cada um, como o modo que se vive o momento.

Um livro com uma mensagem forte e com um final enriquecedor, este é um livro que pode muito bem ser obrigatório para todos e que nos deixa uma pergunta é muito simples de se fazer, mas muito complexa na resposta: Caro leitor, como viverias a tua vida se soubesses que ela acabaria de um momento para o outro dentro de 8 dias?

 

Nesta edição podemos contar com um anexo didáctico que ajudará não só alunos e professores como ao leitor comum aprofundar-se no tema e questões do livro. Orientação de leitura, perguntas, sugestões de temas e composições e não esquecendo também da referência a Veronika Decides to Die que em 2009 foi adaptado para o cinema com Sarah Michelle Gellar no papel principal e realizado por Emily Young. Agora os Prós e Contras:

 

Prós:

  1. Agradável e de leitura fluida
  2. Personagens carismáticas e profundas
  3. Apêndice didáctico incluído nesta edição

Contras:

  1. As questões espirituais e morais podem ser, por vezes, demasiado comuns e comerciais até

 

Sinopse (retirado de Fnac.pt):

 

Aos 24 anos, Veronika parece ter tudo - juventude, beleza, amigos, pretendentes, uma família que a ama, um emprego que a satisfaz. Mas falta algo na sua vida. Por isso, numa manhã fria de Novembro, Veronika decide morrer. Será a sua decisão irreversível? O livro questiona os limites da loucura e celebra a riqueza das pessoas que não se enquadram nos padrões do que a sociedade considera «normal», revelando que a escolha entre a vida e a morte pode ser feita a cada momento.

 


3 comentários:
Ora bem, pelos vistos já cá estou novamente :) desta vez tive o privilégio de ser referida por ti e tudo eheheh

Em relação à pergunta que deixas no ar.. A minha resposta é: tentaria aproveitar o "momento" o melhor possível, não me chatear, sorrir muito, estar rodeada das pessoas de quem gosto e viver os meus últimos momentos o mais feliz que conseguisse.
Afinal não é a felicidade que todos nós procuramos? Essa que é momentânea e por vezes efémera, mas vale tanto a pena quando nos sentimos felizes mesmo que seja com as coisas mais pequenas e simples que a vida nos dá.

Fico feliz por teres gostado.

Aguardo ansiosamente pela continuação das nossas conversas e.. das pastilhas com açúcar ;)

Continuação de boas leituras Pedro.
V. a 10 de Dezembro de 2012 às 00:52

Ora boas!!

Brigado pelo comentário e pela resposta e sim, claro que toda a gente procura a felicidade! Apenas o que para uns é um modo feliz de viver o "momento", pode não o ser para outro ou cada um de nós ter uma perspectiva diferente do que é "ser feliz".

Por exemplo: Um grupo de dez amigos decidem todos fazer um percurso especifico em modo de corrida.
Para alguns deles, viver esse momento no auge da felicidade é dar o máximo e fazer o percurso combinado no mínimo tempo possível; para outros do mesmo grupo é ir a conversa ou mais descontraídos a ouvir música, etc... Na meta, todos os dez amigos estão felizes e sentem-se realizados mas cumpriram o mesmo objectivo de modos diferentes.

Mas sim, é isso mesmo e claro que conversaremos... Apesar de não gostares de pastilhas com açúcar!

Até já!
ChadGrey a 11 de Dezembro de 2012 às 23:05

"Talvez todos devamos ser um pouco mais loucos, ou passar alguns dias em um lugar como esse para aprender o que é viver." Exatamente assim! Adorei! Estou louca para ler mais de Paulo Coelho!
Encontrei esse aqui (para quem queira): http://portugues.free-ebooks.net/ebook/Veronika-Decide-Morrer

Mas alguém sabe onde posso encontrar outros títulos do autor para baixar? Brigada!
Rita Vasconcelos a 15 de Junho de 2014 às 03:18

Banner
Mais Sobre Mim

Ver

Seguir

2 seguidores

Pesquisar