18
Nov 12

 

 

"A história económica tem o seu quê de monotonia (...). Tende a repetir-se com previsibilidade enfadonha. Como dizia Aldous Huxley, 'o charme da história e a sua lição enigmática consiste no facto de que, de era em era, nada muda e apesar disso tudo é completamente diferente'."

 

Para não fugir a regra, chegado outro Outubro, o mercado pode ter o prazer de presenciar o lançamento do décimo romance de José Rodrigues dos Santos (JRS): A Mão do Diabo. Foi lançado em Outubro deste ano e, em menos de uma semana, já contava com a segunda edição e mais de 60.000 cópias vendidas. Não deixa de ser curioso, pois o livro não é assim tão barato quanto isso, tendo como preço de editor é de 22€. Mesmo tendo em conta que o tema predominante do livro é a Crise.

 

Pormenores a parte, tendo em conta a conjuntura do país, dizer que um livro custa 22€ é caro mas, na minha opinião, é um livro que vale cada cêntimo do seu preço.

E quem volta a protagonizar uma obra de JRS? O nosso historiador preferido: Tomás de Noronha. Mas desta vez as coisas não podiam estar mais negras.

O livro começa com este em Grécia onde desfolha uns livros de Zoroastro, o primeiro impulsionador de uma religião monoteísta. Mas este em pouco tempo vê-se no meio de uma manifestação na Grécia contra as grandes medidas de austeridade.

 

Volta a Portugal, este é chamado a ter uma reunião com o director da faculdade, onde este lhe deu a inesperada notícia de que este terá que ser despedido. Contas a vida, contactos sem sucesso e sem mais nenhuma solução, este terá que se dirigir e inscrever no Centro de Emprego para receber o merecido Subsídio. É à saída do centro que este encontra um velho amigo, mas este apresentava um aspecto acabado e sujo. Este dizia que se encontrava fugido, pois sabia muito sobre a crise e a sua origem.

 

Tomás ofereceu abrigo, banho e comida em sua casa, mas o que este não sabia é que ao dar abrigo ao amigo, também este entrava na mira de Magus, líder de uma organização Satânica que em nada precisa de que se descubra a origem da crise e os intervenientes causadores da mesma. Para isso, fará de tudo para recuperar o DVD que se encontra na posse de Filipe, o amigo de Tomás ou pelo menos neutralizar os possuidores do mesmo.

 

Já se sabe que o tema do livro é a crise, sua origem e possível futuro desta nossa situação económica no Mundo, Europa e principalmente em Portugal, e posso dizer que não me assustava tanto nem um livro que me fez reflectir desde d'O Sétimo Selo, também do mesmo escritor.

Cheio de curiosidades, factos históricos e outros factos, como o próprio escritor afirma "disfarçado pela 'ficção'" que para além nos fazer abrir os olhos ainda mais de admiração, faz-nos pensar duas vezes sempre que ouvirmos declarações de políticos na televisão, entre outros.

 

Prós:

  1. A mesma magia e fluidez que já estamos habituados
  2. Tomás de Noronha é uma personagem que não cansa
  3. O tema predominante do livro não podia vir "mesmo a calhar"

Contras:

  1.  Algumas descrições históricas são algo maçudas
  2. Há parágrafos de discurso directo de mais de uma página inteira

 

Sinopse (copiada de Fnac.pt) :

 

A VERDADE OCULTA SOBRE A CRISE.


A crise atingiu Tomás Noronha. Devido às medidas de austeridade, o historiador é despedido da faculdade e tem de se candidatar ao subsídio de desemprego. À porta do centro de emprego, Tomás é interpelado por um velho amigo de liceu perseguido por desconhecidos. O fugitivo escondeu um DVD escaldante que compromete os responsáveis pela crise, mas para o encontrar Tomás terá de decifrar um criptograma enigmático.

O Tribunal Penal Internacional instaurou um processo aos autores da crise por crimes contra a humanidade. Para que este processo seja bem-sucedido, e apesar da perseguição implacável montada por um bando de assassinos, é imperativo que Tomás decifre o criptograma e localize o DVD com o mais perigoso segredo do mundo. 


Numa aventura vertiginosa que nos transporta ao coração mais tenebroso da alta política e finança, José Rodrigues dos Santos volta a impor-se como o grande mestre do mistério. Além de ser um romance de cortar o fôlego, A Mão do Diabo divulga informação verdadeira e revela-se um precioso guia para entender a crise, conhecer os seus autores e compreender o que nos reserva o futuro.

 


Banner
Mais Sobre Mim

Ver

Seguir

2 seguidores

Pesquisar