01
Jul 12

 

Livro Terceiro de O Ciclo Da Herança

 

Este é o terceiro livro, o final da trilogia iniciada com o livro Eragon. Esperem... Era para ter sido assim até ao final do Eldest, mas parece que o jovem escritor Christopher Paolini decidiu que três livros não são o suficiente para caracterizar o mundo como deseja. Acha que é necessário pelo menos mais um ao que pôs término à descrição "Trilogia da Herança" e nomeou como "O Ciclo da Herança".

Brisingr foi lançado em 2008 nos Estados Unidos da América e em Portugal, sem grande demora, a editora Gailivro o colocou no mercado no mesmo ano. Só quatro anos depois o li e vos apresento a minha pequena opinião sobre o mesmo.

 

Brisingr vê o seu inicio imediatamente após o fim de Eldest. A primeira missão neste livro de Eragon é salvar Katrina, o amor da vida do seu primo Roran. Missão essa que conclui com sucesso, mas com o seu preço que não é tão baixo quanto isso. Encontra o pai da Katrina, aquele que o traiu e levou os inimigos ao seu encontro. A partir daí o coração de Eragon e a sua mente coagirão em conjunto, muitas vezes sem o Dragão Saphira poder ajudar.

 

É um livro longo. Lê-se muito bem e para mais de 800 páginas posso dizer que é um livro que se lê rápido. Mas tenho que concordar que em comparação com os anteriores, é um livro que evolui muito pouco. Acontecem várias reuniões e concílios de discussões, onde facilmente é previsível a tomada de decisão; Acontecem várias batalhas onde a vitória pertence àquele que não surpreenderá o leitor e até aquelas conversas morais e sociais entre Eragon e Saphira ou Arya já não estão tão elaboradas e completas quanto isso. Não quero dizer isto, porque ainda não li o quarto livro deste Ciclo, Herança, mas a mim me pareceu muito um pouco com descrever situações mais com o objectivo de "encher chouriços". Não tenho dúvida alguma que serão necessários para compreender eventos futuros, mas quem pegou no livro e ter pensado que seria o fim da trilogia terá com certeza ter achado ainda mais estranho.

 

Mas no entanto o público dedicado desta obra mantêm e tende a crescer. Qualquer amante de um videojogo do género RPG Medieval, terá todo o gosto em ler este exemplar. Recheado de raças e magias, dragões e batalhas épicas, localizações mágicas e paisagens que surgirão nas vossas cabeças como pinturas graças às excelentes descrições feitas pelo escritor.

 

Prós:

  1. Continuação de um ciclo viciante
  2. Escrita simples, viciante e bem caracterizada
  3. Formatação do livro

Contras:

  1. Existem magias que resolvem todos os problemas, chegando a ser um exagero
  2. Várias situações que apesar de complexas, serão muito previsíveis

 

 

Sinopse:

 

Juramentos prestados. . . Lealdades testadas. . . Forças em colisão...


Na sequência da batalha colossal nas Planícies Flamejantes contra os guerreiros do Império, Eragon e o seu Dragão, Saphira, escapam com dificuldade.
No entanto, o Cavaleiro e o Dragão ainda terão de se deparar com inúmeros desafios…


Eragon vê-se enredado numa série de promessas que poderá não conseguir cumprir. O juramento ao seu primo, Roran, no sentido de o ajudar a resgatar a sua amada Katrina das garras de Galbatorix.
Todavia, Eragon deve lealdade a outros também. Os Varden precisam desesperadamente dos seus talentos e da sua força, tal como os Elfos e os Anões. E, logo que a inquietação assalta os rebeldes e o perigo espreita em cada esquina, Eragon terá de fazer escolhas que o levarão a atravessar o Império, viajando muito além. Escolhas que o poderão submeter a sacrifícios inimagináveis…

Eragon é a grande esperança para libertar o reino da tirania.

Conseguirá este rapaz, outrora um simples camponês, unir as forças rebeldes e assim derrotar o rei?

 


Banner
Mais Sobre Mim

Ver

Seguir

2 seguidores

Pesquisar