19
Fev 12

 

"Quando alguém quer alguma coisa,

Todo o universo conspira para que possa realizá-la" 

 

Confesso que não foi nada fácil mentalizar-me de que iria ler este escritor dos nossos tempos: Paulo Coelho. Se me perguntarem-me o porquê, não sei responder bem... Talvez por ter uma imagem abstracta formada por coisa nenhuma, mas finalmente peguei num livro deste artista nascido no Brasil mas que conquistou, com palavras escritas, o mundo inteiro. Nada melhor que começar pelo livro que este mais vendeu pelo mundo inteiro, tendo o título de livro português mais vendido no mundo inteiro.

 

Posso dizer que não foi o livro que mais gostei de ler. Pessoalmente não o recomendaria a ninguém. O tema é muito bonito e fantasioso, dando até alguma garra ao leitor, mas é daqueles livros muito espirituais e muito do tipo "Se desejas muito alguma coisa e lutares por ela, tu consegues"... Não sou muito adepto deste tipo de conceitos num livro. Sim, tudo bem que se formos a ver bem é o que, de uma maneira ou de outra, é a mensagem todos os livros, concordo plenamente, mas este é descarado e repetitivo nesse sentido.

 

Acompanharemos as aventuras de um rapaz chamado Santiago que decide ser pastor, pois os pastores têm uma profissão bastante viajada. Este rapaz pede autorização ao sei pai, e este pela justificação do filho, sede ao pedido e deixa-o seguir o seu caminho.

Pelo caminho encontra-se com um rei. Um rei a falar com um pastor, admirou-se o rapaz acreditando que este não seria de modo nenhum rei, mas acontece que este rei deu-lhe alguns concelhos que não lhe saem da cabeça.

 

Está decidido... Terá de viajar até às pirâmides do Egipto, para isso atravessando rios e mares, e por fim o interminável deserto do Sara. Não faltarão durante este percurso todo mensagens moralistas que, apesar de não ensinarem ou motivarem para as más acções, algumas serão repetitivas e frias, parecendo por vezes palavras de um padre que pouco mais conhece para além da Bíblia Sagrada.

 

Todo o livro vem acompanhado de umas ilustrações feitas pelo próprio escritor. Ilustrações essas a preto e branco. Gostaria de vos tentar explicar melhor em que consistem as ilustrações, que ocupam cada uma a página inteira, mas não me sinto a vontade para comentar sobre pinturas sem tropeçar e cair. Posso dizer que são a preto e branco e enquadram-se na perfeição durante a narração.

 

A leitura deste livro posso dizer que é um pouco lenta. Posso dizer que levei mais tempo a ler este livro que não tem, nesta edição formatada com letra de tamanho grande (tamanho da letra 14, sensivelmente) e espaçamento largo, 240 páginas do que o, por exemplo, A Rainha no Palácio das Correntes de Ar que tem mais de 720 páginas... Para além de não dar motivação para ler durante muitas páginas seguintes, a leitura é pesada e por vezes incompreensível no que ao tema diz respeito. 

Como viram, não foi o meu livro preferido, mas não desisto de Paulo Coelho tão facilmente. Já me recomendaram, por exemplo, o Veronika Decide Morrer e pelo que me contaram terei todo o gosto em desfolhar outro livro do brasileiro.

 

Prós:

  1. Ilustrações
  2. Vocábulo rico e acessível
  3. Estória de personagens simpáticas e férteis
  4. Citações de motivação ao leitor... 

Contras:

  1. ...Que podem ser muito repetitivas
  2. Leitura morosa

 

 

Sinopse:

 

Conta a história de Santiago, um pastor andaluz que abandona a sua terra natal e viaja pelo Norte de África em busca de uma quimera - um tesouro enterrado sob as pirâmides. Nesta viagem, conhece uma jovem cigana, um homem que diz ser rei e um alquimista, que o vão ajudar na sua busca. Ninguém sabe exactamente o que é um tesouro nem se Santiago conseguirá ultrapassar todos os obstáculos da sua travessia do deserto. Mas aquilo que começa por ser uma aventura por locais exóticos para procurar a riqueza material, acaba por se transformar numa viagem de descoberta de si mesmo e da riqueza da alma humana. O Alquimista recria um símbolo intemporal que nos recorda a importância de seguir os nossos sonhos e ouvir a voz do coração.

 

Publicado Por ChadGrey às 22:35

Banner
Mais Sobre Mim
Pesquisar