15
Dez 11

 

Millennium 3

 

Depois de ler Os Homens Que Odeiam As Mulheres e A Rapariga Que Sonhava Com Uma Lata De Gasolina e Um Fósforo é mesmo inevitável ler quase de imediato o livro que marca o fim antecipado da saga Millennium: Luftslottet som sprängdes (Título original em Sueco). Foi lançado em 2007 no país natal do falecido escritor, e em Portugal viu o seu lançamento em meados de 2009. 

 

Este terceiro livro desta forte trilogia vê o seu inicio imediatamente a seguir aos acontecimentos do anterior, por isso para os que não leram o segundo livro, é possível que conte neste espaço alguns acontecimentos que vos irão estragar um pouco o factor surpresa, ainda por cima relativamente ao final do segundo livro. Se não é isso que pretendem, o melhor mesmo é parar de ler neste preciso momento e regressam quando terminarem de ler o segundo livro.

 

Como mencionei, este livro começa onde os acontecimentos do A Rapariga Que Sonhava Com Uma Lata De Gasolina e Um Fósforo terminaram, ou seja, a personagem principal Lisbeth Salander que tinha sido baleada na cabeça sobreviveu aos ferimentos e encontra-se no hospital em estado crítico, mas fora de perigo de vida; e o antagonista e pai da protagonista Alexander Zalachenko também se encontra no mesmo hospital, a poucos quartos de distância da pessoa que ele quer ver morta, por motivos bastante antigos, pessoais e pelo ferimento causado por uma machadada provocada pela Lisbeth. Apesar de tudo, Zalachenko encontra-se em melhor estado de saúde que a sua filha.

 

Paralelamente o jornalista da revista mensal MillenniumMickael Blomkvist que está danado com os acontecimentos, principalmente por ter descoberto que a Säpo (agência de serviços secretos, na Suécia) ou alguns dos seus funcionários se encontram responsáveis por todos estes incidentes e pela morte do jornalista Dag e da investigadora Mia, que se preparavam lançar uma tese e um livro que prometiam relacionar nomes de alta patente com o tráfico de mulheres. Mickael quer fazer de tudo para ajudar juridicamente a Lisbeth e para isso pediu a sua irmã Annika, advogada e defensora dos direitos das mulheres. Esta advogada que ao principio não acredita ser a pessoa indicada para defender Lisbeth, a mulher fechada, que não demonstra sentimentos nem que fala muito e que pouca confiança transmite, aceita o desafio e trabalha no caso.

 

Mickael prepara um artigo que irá abalar toda a Suécia, ao ponto de obrigar o Primeiro Ministro deste país e o Ministro da Justiça a intervir neste caso; mas desta vez não pode contar com a directora editorial da revista e amante ocasional Erika Berger, pois esta aceitou a proposta para ser directora executiva de uma outra revista de uma dimensão nacional. Contudo o jornalista não está sozinho nesta luta contra todo o sistema conspiratório, mas todas as ameaças estão contra ele... Resta saber se irá baixar os braços para deixar de lutar por uma pessoa que não lhe diz à anos perante todos os perigos que se vê envolvido.

 

Podem contar com um livro grande. São 720 páginas! Não vou dizer que não encontrei partes do livro secantes e que me levaram a fechar o livro mais depressa do que realmente queria; aliás, posso dizer que as primeiras 350 páginas, salvo algumas excepções, são um tanto ou quanto maçadoras; mas com o decorrer da acção, facilmente nos apercebemos que sem todas aquelas páginas que nos fizeram bocejar ao inicio, o livro não teria qualquer sentido. Ou seja, sofri ao inicio, mas o final foi muito compensador. As personagens continuam com a sua personalidade que já conheceríamos e há uma série de acontecimentos que prometem cravar uma estaca no coração das pessoas que acreditem nesta realidade, que ao fim ao cabo não é de modo nenhum descabida nem impossível. Um livro OBRIGATÓRIO para o término de uma trilogia que fará as pessoas pensarem um pouco na realidade.

 

Prós:

  1. Estória muito bem construída
  2. Momentos chave
  3. Organização temporal
  4. Personagens carismáticas...

Contras:

  1. ...Mas que são muitas e por vezes é confuso 
  2. Apesar de ser viciante, o inicio é algo desmotivador 
  3. Livro muito grande o que dificulta a sua mobilidade

 

Sinopse:

 

Lisbeth Salander sobreviveu aos ferimentos de que foi vítima, mas não tem razões para sorrir: o seu estado de saúde inspira cuidados e terá de permanecer várias semanas no hospital, completamente impossibilitada de se movimentar e agir. As acusações que recaem sobre ela levaram a polícia a mantê-la incontactável. Lisbeth sente-se sitiada e, como se isto não bastasse, vê-se ainda confrontada com outro problema: o pai, que a odeia e que ela feriu à machadada, encontra-se no mesmo hospital com ferimentos menos graves e intenções mais maquiavélicas… Entretanto, mantêm-se as movimentações secretas de alguns elementos da Säpo, a polícia de segurança sueca.

 

Para se manter incógnita, esta gente que actua na sombra está determinada a eliminar todos os que se atravessam no seu caminho. Mas nem tudo podia ser mau: Lisbeth pode contar com Mikael Blomkvist que, para a ilibar, prepara um artigo sobre a conspiração que visa silenciá-la para sempre. E Mikael Blomkvist também não está sozinho nesta cruzada: Dragan Armanskij, o inspector Bublanski, Anika Gianini, entre outros, unem esforços para que se faça justiça. E Erika Berger? Será que Mikael pode contar com a sua ajuda, agora que também ela está a ser ameaçada? E quem é Rosa Figuerola, a bela mulher que seduz Mikael Blomkvist?

 


Banner
Mais Sobre Mim
Pesquisar