11
Out 11

 

E se soubessemos o que o futuro nos esperava...

Estariamos mais felizes, ou mais afligidos?

 

Nem eu sabia que uma das minhas séries preferidas era baseada num livro escrito por Robert James Sawyer em 1999 e que esse mesmo livro Flashforward estava traduzido para português. Pois bem, Robert Sawyer tem um tema bastante frequente nos seus livros, aplicar ciência existente e transformá-la em ficção de uma forma não ofensiva, criando um Universo partilhado por todos, onde apenas uma mudança existe e que mudaria toda a maneira de pensar de toda a gente.

 

E, mais precisamente, o que acontece neste livro é:

Após uma experiência utilizando o grande túnel subterrâneo que partilha a fronteira de França e Suiça, acontece que toda a gente, de todo o mundo, desmaia durante 2 minutos. Acontece que enquanto as pessoas de todo o mundo se encontraram desmaiadas, sonharam... Com sonhos reais e viram o que seria o futuro após trinta anos. Uns sonharam que estariam juntos com pessoas que não conhecia nem amava no momento;outros sonharam que estariam onde menos esperavam; uma criança sonhou que seria o futuro Presidente dos Estados Unidos da América; outros não sonharam e nem sentiram nada durante os dois minutos que seus corpos se encontravam inconscientes. 

 

Iremos, durante este livro, encontra muitas personagens muito especiais e de pensamentos muito diferentes e diferentes formas de encarar a estranha visão de dois minutos, e também para aqueles que não tiveram visão nenhuma. Muitos deles serão os cientistas provavelmente responsáveis pela experiência que resultou no evento que matou milhões de pessoas por todo o mundo; encontraremos padres, polícias, todos eles com algo significativo e interessante sobre o futuro.

 

Neste meu comentário ao livro pouco estou a falar das personagens em si, como seus nomes e pequena estória que tenham, porque é o menos relativo. Uma menção para o protagonista Lloyd Simcoe que foi aquele que assumiu a responsabilidade do acontecimento num evento público, e passou a ser odiado por muitos (ou por aqueles que não gostaram da sua visão ou aqueles cujas perdas foram significativas), mas adorado por outros tantos. Ousou pedir às Nações Unidas para fazer uma réplica da experiência. Qual será o resultado?

Outra personagem que ficará marcada será Theo Procopides que não sonhou nem teve visão nenhuma durante os dois minutos de sono, mas acontece que recebeu um telefonema de uma senhora que diz ter lido no jornal sobre o seu estranho assassinato. Fará de tudo para investigar a sua própria futura morte, acreditando sempre que o futuro poderá ser mutável, contrariando várias teorias ciêncio-filosóficas.

 

Um livro que gostei muito. Directo, claro, provou que para um livro ser rico em conteúdo e drama não precisa de ter mais de quinhentas páginas, pois (a edição vista na imagem) tem 288. Um tema bastante pretinente, com uma visão do futuro plausivel e cuja a qual nos identificamos.

 

 

Sinopse:

 

O que faria se tivesse um vislumbre trágico do seu próprio futuro? Tentaria mudar as coisas, ou aceitaria que o futuro é imutável? Em Flashforward - Presságio do Futuro, é iniciada uma experiência científica que conduz ao inesperado: o mundo inteiro cai inconsciente por instantes e todas as mentes são projectadas vinte anos no futuro. Quando a humanidade desperta, o caos impera por todo o lado: carros arruinados, cirurgias falhadas, quedas, destruição em massa e um elevado número de mortes. Mas esse é apenas o início. Passado o choque das visões, cada indivíduo tenta desesperadamente evitar ou assegurar o seu próprio futuro vislumbrado...


Expondo as perspectivas de várias personagens, Robert J. Sawyer realiza uma brilhante reflexão filosófica sobre viagens no tempo, consciência, destino e o que significa ser humano.

 

Publicado Por ChadGrey às 11:15

2 comentários:
Como adorei a série, terei mesmo que ler o livro, que por norma é sempre melhor.
Como seria se soubéssemos o futuro? Tenho a sensação que seria a loucura geral...
Amy Rose a 24 de Outubro de 2011 às 22:59

Desde que a minha visão calhasse no momento em que estou a ver a chave do Euro Milhões, acho que aguentaria muito bem com a minha loucura ;)
ChadGrey a 26 de Outubro de 2011 às 00:41

Banner
Mais Sobre Mim
Pesquisar