19
Set 11

 

Uma jovem com futuro,

num trágico e precoce fim.

 

Ninguém fica indiferente a toda a experiência e vivência que Anne Frank inocente e amavelmente partilha connosco.

É, e muito bem, um livro recomendado pelo plano de leitura do oitavo ano de escolaridade é, grossos modos, um livro que nos mostra a visão de uma criança judia face ao implacável fascismo praticado.

 

Um retrato detalhado e contado na primeira pessoa Anne Frank onde esta conta a sua vida num diário antes de haver a necessidade de se esconder e durante a sua estadia num "anexo secreto", onde esteve escondida e em silêncio por mais de dois anos, até que o seu esconderijo foi denunciado por alguém aos nazis, que teve de fazer a família toda prisioneira, tal como os amigos. Não quero de modo nenhum contar elementos históricos, pois não é essa a minha intenção, mas sim qualificar este livro cheio de coragem, maturidade (quando não deveria existir) e inocência. 

 

Esta Versão Definitiva tem a sua razão de existir, pois as primeiras edições que sairam deste diário, contou com algumas partes históricas adulteradas, tal como páginas em relação à vida amorosa de Anne Frank omitidas, por motivos de privacidade e também respeito. Na altura em que foi lançado pela primeira vez, os textos foram seleccionados pelo pai de Anne Frank, o Otto Frank único sobrevivente da família, que achou alguns textos ou entradas no diário poderiam ter interpretações maliciosas em relação à menina sua filha.

 

Hoje em dia já ninguém lê com maldade, e a Versão Definitiva veio enriquecer ainda mais a história e o ícone que já é Anne deixando sempre uma mensagem de coragem, mesmo nas piores condições e previsões de vida. Um livro para toda a gente ler, apreciar e viver.

 

Sinopse:

 

Todos conhecem a história profundamente dramática da jovem Anne Frank.
Publicado pela primeira vez em 1947, por iniciativa de seu pai, o "Diário" veio revelar ao mundo o que fora, durante dois longos anos, o dia-a-dia de uma adolescente condenada a uma voluntária auto-reclusão, para tentar escapar à sorte dos judeus que os alemães haviam começado a deportar para supostos "campos de trabalho".


Tentativa sem final feliz. Em Agosto de 1944, todos aqueles que estavam escondidos no pequeno anexo secreto onde a jovem habitava foram presos. Após uma breve passagem por Westerbork e Auschwitz, Anne Frank acaba então por ir parar a Bergen-Belsen, onde vem a morrer em Março de 1945, a escassos dois meses do final da guerra na Europa.

 

Traduzido em 67 línguas, este documento excepcional, de que a Livros do Brasil se orgulha de lançar agora a edição definitiva, vendeu já mais de 31 milhões de exemplares e é, seguramente, um dos livros mais lidos, discutidos e amados de toda a história do mundo. Importa enfim acrescentar que esta edição definitiva contém toda uma série de passos que haviam sido omitidos por decisão do pai, que não tinha querido que alguns comentários de Anne Frank relativos à mãe fossem divulgados. 


O resultado final é um retrato extraordinário de uma adolescente em busca da sua identidade, durante um dos mais trágicos períodos jamais vividos pela humanidade.

 

Publicado Por ChadGrey às 21:59

4 comentários:
Um dos livros mais famosos de sempre, terei que ler.
Amy Rose a 22 de Outubro de 2011 às 19:54

Sim, claro. Tu e toda a gente tem que ler este livro, ou versão semelhante.
ChadGrey a 26 de Outubro de 2011 às 00:31

já li o livro, gostei apesar de ser muito triste :( . mas porque que aquele palerma do Hitler matou milhões de pessoas só porque as considerava imperfeitas... o imperfeito era ele mas mas mentalmente...
Anónimo a 2 de Abril de 2012 às 17:28

a primeira vez que li uma das passagens do diario a anne frenck, fiquei muito comovida com a historia dela eu tinha doze anos,, desde de la ate hoje com meus vinte anos tenho buscado ela.
Gloria Daniel a 13 de Janeiro de 2014 às 22:12

Banner
Mais Sobre Mim
Pesquisar