08
Set 11

 

A responsabilidade de um Deus face ao seu passado

 

A Playstation Portable (PSP) para muitos não é a primeira opção para a forma de entertenimento gamming e a Sony Computer Entertainment quer que a sua consola não seja um utensílio de decoração encarregue de apanhar pó. Para isso tem de apostar e trazer coisas novas ou que agrade ao grande público alvo. Cinco anos após o lançamento da portátil (saiu em meados de 2005) as ideias e o aproveitamento da consola começam a escassear, mas o estúdio responsável pelo God Of War: Chains Of Olympus dá a sua voz que os nossos ouvidos ouvirão e diz ter uma surpresa de subtítulo: Ghost Of Sparta. Nem mais, antes do lançamento do aguardado e tão desejado God Of War III, o estúdio Ready At Down promete dar vida a Kratos com uma 

 

Estória

 

que acompanha o nosso herói no imediatamente a seguir ao momento que é coroado e emancipado como Deus da Guerra, ou seja, a seguir aos eventos do primeiro jogo da franquia, God Of War e consequentemente antes do segundo título. 

Oráculo é a figura que representa a sabedoria e previsão do futuro. Foi este que disse a Zeus e a Ares que quem iria destruir o reino do Olympo seria um guerreiro humano "marcado" e não os titãs que se encontravam presos e castigados desde a grande guerra. Durante um treino entre Kratos  e seu irmão Deimos, Ares invade e captura Deimos, pois pensava que este seria o humano marcado (este tem aquela marca encarnada que Kratos também viria a ter). Deimos foi desde então torturado pelo próprio Deus da Morte Thanatos. Isso representa um episódio do seu longínquo passado, muito antes de ser guerreiro, ou melhor, enquanto era uma pequena criança.

Agora este é Deus da Guerra, mas as visões do seu passado continuam vivas e bem presentes. Este pede conselhos a Athena, sua protectora desde sempre. Contra todos os seus conselhos, Kratos decide explorar o seu passado, indo ao encontro de toda a verdade e, se possível, do seu irmão também. Com uma 

 

 

Jogabilidade

 

pura e sóbria como sempre a conhecemos.

As dificuldades vistas no título anterior mantém-se, mas a fórmula para este jogo está ainda melhor, contra todas as previsões. Fazer combos mais complexos não exigem o funcionamento de todos os dedos das nossas mãos, ou seja, os controlos estão mais acessíveis e práticos. As magias já são mais aproveitadas e implícitas a ser utilizadas, as plataformas mais completas e equilibradas, tal como os quick time events, momentos em que temos de carregar no botão certo com o timming também correcto para a operação ser concluída com sucesso, estão mais interessantes e com mecânicas mais interessantes. Contudo, tudo melhoraria com a ajuda de um segundo Pad e os botões L2 e R2. Podem aplicar os vossos skills num

 

Ambiente

 

negro, medieval e espectacular! Eu diria que é surpreendente a evolução da série graficamente na velhinha PSP.

Os cenários encontram-se mais completos e recheados, os puzzles também já não são tão simples, mas também não são complicados; diria que encontraram o equilíbrio perfeito. Não é disparate nenhum vermos neste jogo detalhes que fariam inveja aos jogos da consola caseira de 128bits, se bem que mesmo assim não são de fácil comparação. Mais ambientes aquáticos, mais bosses e mais acção, tudo onde o jogo passado não esteve na melhor altura, poderão verificar que este responde à altura.

 

Veredicto

 

Um jogo bom na altura certa e com qualidade surpreendente. Acredito que sempre que metem este jogo a funcionar na vossa consola, ela terá todos os recursos a trabalhar a 100%.

Com modos Single Player mais abrangentes e com mais material desbloqueável tornam o jogo mais apelativo e proporcional ao curto modo de estória.

Muita qualidade audiovisual, uma estória importantissima no desenvolvimento da franquia, mais propriamente da vida de Kratos, torna este jogo obrigatório não só para os possuidores de uma PSP como todos os fãs da série e de jogos de acção hack 'n' Slash.

 

Prós:

  1. God Of War e Kratos numa portátil
  2. Muita acção e evolução desde o ultimo título
  3. Enredo, estória, segredos revelados e personagens
Contras:
  1. Apesar de ser cerca de 30% maior que o antecessor Chains Of Olympus, mesmo assim é curto.
Publicado Por ChadGrey às 22:05

Banner
Mais Sobre Mim
Pesquisar