04
Ago 11

 

 

Parabéns Eidos, Parabéns Tomb Raider

Mas será que queremos este tipo de Remakes?

 

Um Remake é um pau de dois bicos. Ou vem para se juntar à posição no pódio do jogo original, ou para além de fazer uma má figura, afunda consigo o futuro da série. Será esse o futuro deste Remake? Pois tudo indica que não, pois este jogo tem tudo para ressuscitar a Fénix. Tomb Raider: Anniversary é a comemoração do décimo aniversário da série Tomb Raider que teve o seu inicio em 1996 no PC, Sega Saturn e Playstation. Foi de imediato um fenómeno. O facto de controlarmos uma personagem feminina, sensual, inteligente e inglesa (porque não?) passou a ser uma boa experiência para os jogadores que estavam na sua grande maioria habituados a personagens principais masculinas e bastante dotadas de uma musculatura carregada de esteróides. Mas, o que nos traz este Anniversary que valha a pena?

 

Estória

 

A nossa personagem principal Lara Croft, orfã, foi contratada para ir à procura de um artefacto e ao que tudo indica, seu pai haveria também tentado encontrá-lo. Após o encontrar, Lara apercebe-se que se trata de uma de três partes do artefacto Scion, artefacto este que pertence ao continente perdido: Atlântida. Depressa descobrimos que Lara não é a única interessada nesta relíquia e a pessoa que a contratou mostra não ser quem é e fará de tudo para recuperar todas as três partes de Scion.

 

Jogabilidade

 

Apesar de algumas melhorias simbólicas, este jogo aproveita ainda melhor o motor criado para Tomb Raider Legend, mas adaptado ao Remake, ou seja, não esquecendo as origens. Não existem mais os binóculos com vários modos de visão, PDA ou a lanterna (se bem que esta poderia ser aproveitada). O gancho continua, apenas não é mais magnético. O ataque especial aéreo visto em Legend foi substituído pelo Adrenelline Dodge; um ataque que após "enervar" as criaturas nossas inimigas com tiros suficientes para o efeito, esta fará um ataque e a tempo certo, Lara fará o desvio da investida em câmara lenta e, se a pontaria ficar operacional a tempo, poderá ser feito um perfeito HeadShot causando morte imediata. O inventário deste jogo também está bastante simpático e nostálgico, fazendo lembra os três primeiros jogos da série, fazendo um sistema rotativo, em vez do ecrã de opções visto no seu jogo anterior a este.

 

Ambiente

 

É neste tema que irá fazer os fãs da nossa aventureira preferida chora de saudade e nostalgia, pois os cenários vistos são de tal modo parecidos e com uma qualidade gráfica d fazer inveja. Lembramos que, para a versão da Playstation 2, está de fazer pensar que a consola ainda tem muito para dar, quando esta já no fim do seu tempo útil de vida. Os cenários são amplos, as estranhas criaturas são detalhadas, e cada canto deste jogo nos faz lembrar o primeiro jogo da série, lançada já à dez anos. [Quero lembra que, apesar desta análise estar a ser publicada hoje, 4 de Agosto de 2011, estou a fazê-la como se estivesse a analisar o jogo no ano do seu lançamento, ou pelo menos a tentar]. Outro pormenor que nos deixou saudades e está de volta, são os combates de bosses. Quem não tinha saudades do T-Rex? Uma nova, mas ainda mal aproveitada ferramenta é o MultiPath, ferramenta introduzida neste jogo que possibilita a escolha de vários caminhos possíveis para chegar ao mesmo fim. Parece interessante, facto, no entanto não é aproveitada como deve ser pois o caminho principal será na maior parte dos casos, o primeiro caminho a ser escolhido. Quanto ao resto, vislumbrem a vista e paisagem dos vários túmulos e sítios por onde vão passar, desde Peru, Egipto e até à fictícia Lost Island.

 

Verídico

 

É possível que este seja o melhor Remake alguma vez lançado. Não deve ter sido nada fácil assumir esta responsabilidade, mas após assumida agarraram-na com unhas e dentes e não a deixaram fugir nem desiludir. Um excelente jogo para os fãs da série e não só. Não acredito que se possa dizer que gostam do entretenimento gaming sem nunca jogar um Tomb Raider. Obrigatório.

 

Prós

  1. Old school Lara
  2. Cenários muito bem adaptados nesta Remake
  3. Extras desbloqueáveis
  4. Longevidade ideal e perfeita

Contras

  1. Mais uma vez... Muitos jogos no modo Easy são mais difíceis que este no modo Hard
Publicado Por ChadGrey às 13:47

comentário:
E mais.... ;)
Amy Rose a 25 de Setembro de 2011 às 22:58

Banner
Mais Sobre Mim

Ver

Seguir

2 seguidores

Pesquisar