14
Jul 11

 

Em todas os locais, 

Em todas as seitas.

 

Este foi o primeiro livro que li da Nora Roberts. Uma boa escolha? Má escolha? Não fazia ideia antes de o ler, mas pelo que li não me pareceu ter sido a pior escolha possível. Sinto-me às vezes envergonhado quando vou a uma livraria e vejo mais livros traduzidos desta escritora diferentes do que qualquer outro escritor. Não é raro ver um dispositor enorme exclusivo apenas dedicado a esta escritora, que eu considero um fenómeno.

 

Clare Kimball é uma pessoa muito ambiciosa e, de certo modo, corajosa. Tem um enorme desejo de se tornar uma artista que, para isso, teve de deixar o local onde morava, Emmitsboro no Maryland, e todas as pessoas com quem convivia para descobrir um mundo que a fizesse crescer profissionalmente e, ainda mais importante, pessoalmente, a fim que combater os monstros do passado. Conseguiu o sucesso no mundo profissional.

 

O xerife de Emmitsboro é Cameron Rafferty que, nos tempos de liceu, era apaixonado por Clare. Passados dez anos e com o sucesso profissional que conquistou, regressa à sua terra natal, onde o relacionamento com Cameron aumentou substancialmente. Acontece que nem tudo é cor de rosa e um crime abalou esta pequena localidade que abala com o relacionamento de ambos, pois tudo indica que tem a ver com o regresso da mesma à cidade.

 

Cameron, apesar de ser xerife da cidade e ter a obrigação de adaptar uma postura imparcial, deixa Clare juntar-se à investigação, o que pode revelar que a causa de todo o pânico pode estar em todo o lado e qualquer pessoa pode ser culpada.

 

Em relação à escritora, não posso dizer que desgostei, mas posso com certeza dizer que não compreendo como é que é possível ser top de vendas em qualquer país que veja as suas obras traduzidas. Merece com certeza destaque, mas não (a meu ver) ao ponto de ocupar 25% do espaço de uma livraria, tirando destaque a novos escritores ou mesmo escritores portugueses, ou até livros de culto que não compreendo o porquê de não haver novas edições traduzidas (Lembro-me de repente de  livros como The Shining de Stephen King).

Publicado Por ChadGrey às 10:25

9 comentários:
Parabéns pelo destaque :)
raquel ♐ a 14 de Julho de 2011 às 12:50

Muito Obrigado raquel ♐, espero que gostes do meu Blog ;)
ChadGrey a 14 de Julho de 2011 às 13:09

Também foi o primeiro livro que li da Nora Roberts, o 1 de três já agora, e adorei.
Acho compreensível ter esse espaço pois foi devido ao número de vendas que ela o recebeu. Ou seja, é porque as vendas cobrem esse enorme destaque.
Quando à escrita dela gosto bastante. Claro que não se compara a Jane Austen ou Emily Bronte, mas lê-se bem e oferece ao leitor uma história interessante que incita a nossa curiosidade.
Isto não é uma crítica, só uma opinião, pois é lógico que eu também gostava imenso que as livrarias dessem mais destaque a escritores portugueses.
:)
Pseudo-Escritora a 14 de Julho de 2011 às 13:09

Muito Obrigado pelo teu comentário, pseudo-escritora. Faz-me crescer.

Também já li três da Nora Roberts: Este, o Pântano da Meia-Noite e o Lua de Sangue.

Eu não questiono a qualidade da escritora e compreendo que seja acessível a mais gente este tipo de leitura, fantástica, romântica e com uma linguagem simples e clara. Nunca pensei nem disse que para ser um bom escritor seja preciso ter um bom vocabulário e poder de articulação, mas sim uma boa imaginação. Nora Roberts apresenta sim boas situações e desenvolvimentos humanos; no entanto, a mim este livro não me surpreendeu, como eu estava a espera. Se calhar o mal foi esse, ler com a expectativa demasiado alta.

Agora que seja é fenómeno, eu acho que sim. É claro que se os retalhistas deixam que se ocupe os espaços das suas lojas porque vendem-se mais livros desta senhora do que outros quaisquer e não só; também sabem que as pessoas que não a conhecem mas se comprarem, não levam para casa um mau livro, e essas pessoas voltarão lá para comprar. Normal.

Eu aceito todo o tipo de criticas/opiniões e até conselhos para me ajudarem a melhorar como "bloguista". Mais uma vez, obrigado pela tua.

E, mais uma vez, repito não foi uma crítica. Até porque gostei muito do teu blog e só quis dar a minha opinião.
Boa continuação ;)

E muito obrigado pela tua opinião. Quando falo em crítica, não tem necessariamente que ser negativa. Há críticas positivas.
Muito Obrigado e aparece de vez em quando.
Farei o mesmo no teu blog.
ChadGrey a 14 de Julho de 2011 às 16:04

Acho que este não preciso de comentar...
Amy Rose a 17 de Setembro de 2011 às 15:16

Erro: onde o relaionamento.

Não querendo interferir lá muito...
Amy Rose a 17 de Setembro de 2011 às 15:18

Erro corrigido ;)

Obrigado
ChadGrey a 19 de Setembro de 2011 às 22:46

Banner
Mais Sobre Mim
Pesquisar