08
Jul 11

 

Mais dois contos,

Mais duas noites mal dormidas.

 

Meia-Noite e Quatro é a segunda parte do conjunto de quatro contos iniciado com Meia-Noite e Dois(Pode clicar para ler sobre o mesmo). Como tinha anteriormente dito, esta colectânea foi lançada toda junta num livro com quatro contos chamado Meia-Noite e Quatro ou Four Past Midnight

 

Tal como no livro anterior, Stephen King explica em poucas palavras o que o motivou a escrever cada conto, fazendo comparações com outras obras suas ou não e qual o "objectivo" da história. Os dois contos pertencentes a este livro são: A Polícia da Biblioteca e Um Bruto Muito Feio (mais um excelente exemplo das belas traduções que aparecem nos nossos títulos, já vão perceber porquê...). Vou agora falar um pouco de cada um deles, para vos fazer crescer água na boca:

 

A Polícia da Biblioteca (The Library Policeman é o título original): Este é o terceiro conto deste conjunto de contos, o primeiro deste livro. Stephen King explica que o que o motivou a escrever este conto foi o facto de o filho não ir à biblioteca, pois tinha medo de uma entidade a qual denominou por "Polícia da Biblioteca", sendo que tal entidade não existia.

Pois bem, neste conto, Sam Peebles era um agente imobiliário e vendia seguros. Por motivos imprevistos, mas explicados, Sam foi nomeado para discursar no Rotary Club, um pequeno clube recreativo local, mas de muita importância para os habitantes. Este como não tem formação nem o talento natural para discursar para um publico, pediu ajuda a sua assistente Naomi, ou Sarah (depende da ocasião) para o ajudar e esta recomenda-o a levantar na biblioteca dois livros que o vão ajudar. A biblioteca não era de todo normal e ele foi bem avisado de que o atraso na entrega dos livros seria imperdoável. Acontece que, realmente, Sam perdeu os livros que levantou.

Este conto é muito humano, melódico, vivo e assustador. Desafia as pessoas a alterar o comportamento que sentem em relação aos seus medos. Dei por mim, durante várias partes do conto, a suster a respiração e a devorar as páginas como se tivesse que ser a última coisa que tinha de fazer. Vale muito a pena este exemplar, nem que seja por este conto.

 

Um Bruto Muito Feio (The Sun Dog): Este conto passasse na cidade ficcional criada pelo próprio escritor, em Castle Rock, em Maine.

Kevin festeja o seu 15.º aniversário e recebe a prenda que tanto desejava: Uma Polaroid 660. Kevin começou por estrear a máquina pedindo ao seu pai para tirar uma fotografia em grupo. Acontece que à medida que a imagem foi aparecendo no filme, o que mostrava era algo mais perturbador que uma fotografia em família. Kevin pensou, mal, que seria uma avaria na máquina e foi ao encontro do "não amado" Pop Merrill, uma pessoa que tem uma loja, mas de interesses muito diferentes do que ter lucro com o negócio da loja.

 

Com isto, são ao todo quatro contos mesmo para perturbar, mas moralizar, quem os lê. Contos fantásticos e bem contados, tal como o Rei Stephen já nos habituou e muito bem!

Recomendo!


2 comentários:
Um verdadeiro Rei sim senhor!
Para ler futuramente.
Amy Rose a 14 de Setembro de 2011 às 22:22

Sim, e se quiseres posso te recomendar apenas contos... Pode haver contos que não gostes tanto e assim só lês alguns.
ChadGrey a 15 de Setembro de 2011 às 13:29

Banner
Mais Sobre Mim

Ver

Seguir

2 seguidores

Pesquisar