31
Mar 11

 

Será Dexter uma pessoa boa a fazer coisas más,

Ou uma pessoa má a fazer coisas boas?

 

Quem gosta de séries?

A meu ver, uma série é como uma telenovela, mas de boa qualidade, pois em vez de pressas na produção para fazer um episódio de 20 minutos (média) por dia; há todo um trabalho mais calmo e mais completo, para cumprir com um episódio por semana de 40 minutos (média).

Uma das minhas séries preferidas é mesmo esta: Dexter. Sem ter ainda conhecimento de que a série era baseada num livro escrito pela mente de Jeff Lindsay, dei de caras num passeio pelos corredores e prateleiras da Fnac com a obra: Dexter: Um Pesadelo Raiado de Negro.

 

Dexter é, apenas, um analista de sangue. Trabalha no departamento de investigação forense da polícia de Miami. Isto de dia...

De noite ele é Dexter e o seu parceiro interior, a sua mente, o Passageiro das Trevas.

 

Dexter é órfão, e foi adoptado pelo polícia Harry Morgan que o encontrou em certas circunstâncias, circunstâncias essas que justificam o "monstro" que foi criado.

Com uma educação sempre acompanhada pelo seu pai adoptivo, Dexter sente o seu Passageiro das Trevas sempre a o chamar para matar. No entanto, é algo que Dexter não quer combater e o faz de muito bom grado. Sempre perito em esconder as suas provas dos crimes sempre horríveis e de uma imaginação bastante bem construída e com toques de humor que ficam nesta obra cinco estrelas.

Apenas tem um padrão de vítimas: as suas vítimas já causaram também vítimas. Daí Dexter ser conhecido pelos fãs como o "serial killer de serial killers".

Até certo dia que a situação inverteu-se... O serial killer caçador de serial killers, estava agora a ser caçado pelo pior serial killer de Miami. Porquê? Com que fim? Porquê a obsessão deste serial killer, conhecido pela imprensa local como ITK (Ice Truck Killer), querer caçar e fazer jogos perversos e macabros com o apenas analista de sangue Dexter Morgan?

 

Quando lerem este livro saberão estas respostas todas e ficarão, no mínimo, de boca aberta. Com um excelente argumento, este livro vai dar motivos mais que suficientes para gostar do que nunca pensou chegar a gostar, gostar dum assassino em série. Não queremos que nada de mal aconteça a este assassino. Difícil acreditar que este pensamento vos assombrará a mente? Leiam o livro e depois tentem dizer sinceramente que querem ver Dexter apanhado e julgado judicialmente.

Publicado Por ChadGrey às 11:10

3 comentários:
Dexter Morgan, o protagonista, sendo um serial-killer, era suposto ser o mau da historia. Mas não. Vemos-nos envolvidos na historia, e torcemos para que Dexter apanhe e mate as suas vitimas sem que nada lhe aconteça. Bem incrível!
Sou uma fã da serie, sendo das minhas preferidas, e a espera pela nova temporada é torturante!
Só li o livro depois de ter visto a serie, quando tu o descobris-te, e confesso que não adorei. Não sei se foi simplesmente pelo modo de escrita, ou se por gostar tanto da serie e da adrenalina que transmite, que depois quando li o livro não senti a mesma intensidade. Mas claro que sobretudo para um fã, é sempre bom ler aquilo em que se baseiam para fazer algo, e por isso aconselha-se: leiam o livro e vejam a serie ;)
Amy Rose a 7 de Abril de 2011 às 16:49

É verdade... A série envolve mais personagens e tem 12 episódios de cerca de 50 min cada um.
Mas não esquecer que o livro tem menos de 300 páginas e que é contado na primeira pessoa, ou seja, Dexter no livro está sempre presente. Logo, ele não pode descrever o que se está a passar com a Tenente LaGuerta ou com o Sargento Doakes , coisa que a séries faz.
Realmente houve algumas mudanças na história do livro para a série, sendo a meu ver mudanças para melhor.

Sim, como já é habito, esquecia-me desse pormenor de o livro ser contado na primeira pessoa, logo não sabemos das outras partes.
A serie esta melhor, mas juntar ambos é o ideal ;)
Amy Rose a 8 de Abril de 2011 às 11:21

Banner
Mais Sobre Mim
Pesquisar